Inovação

Laudos à distância na radiologia: como eles estão desafogando os centros especializados


Qual foi a última vez que você precisou realizar um exame de raio-x? E quando foi a primeira vez?

Caso eles tenham sido realizados em um intervalo de tempo de pelo menos 10 anos ou mais, você provavelmente notou mudanças consideráveis, que agora até parecem pequenas, mas observe a linha do tempo:

  • Antes, o tempo entre a solicitação do médico, a realização do exame, a espera para que o exame fique pronto, a obrigação do paciente buscar e levar para o médico emitir o diagnóstico já chegou a durar entre 15 e 25 dias, dependendo a disponibilidade dos envolvidos.
  • Com as primeiras mudanças, a comunicação entre clínicas de diagnóstico e clínicas médicas reduziu os trabalhos manuais e também o tempo de espera do paciente, já que as clínicas puderam assumir a função de entregar o exame aos médicos especialistas de maneira digital.
  • Por fim, a digitalização presente nos centros de diagnóstico e clínicas médicas é determinante para tornar o atendimento mais ágil, ao mesmo tempo que auxiliou a eliminar o extravio e armazenamento de milhares de exames.

Mas ainda assim, havia um problema para as clínicas, que influenciava diretamente na capacidade de resposta aos pacientes: a disponibilidade de profissionais limitava e ainda limita o atendimento em diversos municípios.

Dessa forma, como tornar tudo isso mais ágil para que o tempo entre a realização do exame solicitado pelo médico e o início do tratamento do paciente não seja tão demorado?

A resposta é a emissão de laudo a distância.

Uma solução que já começou a ser praticada e tem servido para eliminar gargalos no atendimento e, mesmo à distância, tem auxiliado a tornar tudo mais humano atendendo a urgência que os pacientes esperam.

O que é laudo à distância?

Laudo à distância é a análise, interpretação e descrição dos resultados de exames de raio-x realizada por médicos especialistas que não estão fisicamente presentes na clínica ou centro de diagnóstico onde o exame foi originalmente realizado.

Ao contrário do formato tradicional, no qual os exames de raio-x precisam ser impressos em filmes fotográficos, o laudo à distância representa a última ponta do processo que envolve a geração de imagens digitais.

Isso porque, com o laudo emitido à distância, significa que aquele exame de diagnóstico passou pelas seguintes etapas:

  1. Foi realizado por uma equipe local, sendo um técnico capacitado para realização de exames simples que acompanhou o paciente durante o procedimento.
  1. O exame foi realizado dentro da plataforma de telerradiologia e as imagens foram feitas e salvas num formato padronizado para que elas possam ser lidas por diferentes sistemas, para então serem enviados para o médico através de uma plataforma na nuvem.
  1. O exame foi enviado com informações, histórico de procedimentos já realizados e descrições sobre o paciente, sendo que estas informações têm papel determinante na qualidade do laudo que será emitido.
  1. Considerando a imagem e as informações, o médico especialista faz a interpretação e emite o laudo à distância diretamente na plataforma online, através de um documento que fica disponível para o centro de diagnóstico entregar ao paciente.

Os exames realizados de forma remota podem ser raio-x, tomografia, ressonância, entre outros. E da mesma forma que é produzido remotamente, ele também é assinado digitalmente e de forma remota pelo médico especialista.

Tudo isso permite que o laudo seja liberado de maneira mais rápida, sobretudo porque as plataformas de telemedicina contam com vários profissionais cadastrados e à disposição para emitir laudos com a agilidade que clínicas e pacientes necessitam.

Como funciona o laudo a distância na radiologia?

Na prática, a grande diferença dos exames radiológicos que são laudados à distância está no formato que os aparelhos que realizam o procedimento operam.

Como citamos acima, no raio-x convencional as imagens são geradas através de placas de filme, que demandam custo e espaço para armazenamento. O que não ocorre na emissão de raio-x digital.

Ainda na década de 1990, a tecnologia usava chassis que captavam a radiação, para que posteriormente os exames fossem digitalizados por meio de aparelhos scanner, sendo que esta é considerada uma etapa chamada radiologia computadorizada.

Foi posteriormente, no fim da mesma década, que a radiologia digital passou a ser utilizada. 

Na radiologia digital a radiação emitida é absorvida por um detector que transforma a energia em um registro digitalizado.

Esse registro é feito em um computador com uma software capaz de transformar os dados em imagens, para enfim, ser armazenado e transmitido digitalmente por meio do PACS.

O protocolo DICOM e a plataforma PACS sempre aparecem em nossos artigos, pois eles têm papel decisivo para que a telerradiologia, a emissão de laudos à distância e a telemedicina de maneira geral prosperem.

Ou seja, é a partir dos protocolos estabelecidos pelo DICOM que as imagens de diagnóstico podem ser lidas, abertas, interpretadas e analisadas a partir de qualquer sistema ou software de radiologia.

De maneira simples, pode-se dizer que assim como conseguimos acessar imagens, vídeos e músicas em celulares da Samsung, Apple e Xiaomi, o protocolo DICOM garante que as imagens de diagnóstico sejam salvas em formatos padronizados que podem ser abertos em aparelhos e sistemas de marcas diferentes.

Por sua vez, o sistema PACS é responsável pela transmissão e armazenamento dessas imagens na nuvem com segurança, garantindo que os exames que vão chegar até os médicos tenham a alta qualidade e confiabilidade necessária para que os exames possam ser interpretados e analisados sem ruídos.

O benefício deste formato é que por serem arquivos digitais e de altíssima qualidade, eles podem ser submetidos a medição, zoom para ampliação e outras ações que permitem ao médico especialista fazer análises detalhadas.

Por fim, assim como é na radiologia convencional, na radiologia à distância a resolução CFM Nº 2.107/14 exige que somente um médico especialista em radiologia e diagnóstico por imagem possa assinar os laudos.

4 benefícios dos laudos à distância na radiologia

Redução de custos e da sobrecarga de trabalho

Redução de custos com laudos à distância na radiologia

O impacto no custos com a folha de pagamento é o benefício mais notável para as clínicas médicas.

Enquanto os médicos alocados nas clínicas costumam cobrar por hora de trabalho, os médicos que emitem laudos à distância cobram por laudo.

Ou seja, o pagamento que antes era feito pelo tempo que os profissionais permaneciam alocados, mesmo que não estivessem atendendo, com os laudos à distância é transformado em produtividade.

Neste sentido, os laudos à distância ainda auxiliam a combater a sobrecarga dos médicos,  que muitas vezes, necessitavam ficar por horas cumprindo jornadas com privação de descanso, mesmo que não tivessem pacientes para serem atendidos.

Melhora na qualidade dos laudos

Mais qualidade com laudos à distância na radiologia

A demanda e falta de tempo costumam ser inimigos de equipes sobrecarregadas. E o mesmo acontece em clínicas de diagnóstico.

Na tentativa de tornar tudo mais ágil, podem ocorrer erros na realização dos exames que, posteriormente, prejudicam a interpretação e análise dos médicos.

Além do mais, a qualidade experimentada nas imagens transmitidas de maneira digital possibilita que as análises sejam feitas em cima de imagens de alta qualidade, que muitas vezes, deixavam a desejar por conta da suscetibilidade do filme a se danificar.

Variedade maior de exames oferecidos

Mais profissionais disponíveis com laudos à distância na radiologia

Além de reduzir os custos por não precisar ter médicos especialistas alocados, o laudo a distância permite que os centros especializados aumentem a diversidade de exames oferecidos.

Nesse sentido, eles podem contar com a variedade de médicos especialistas e sub-especializados que não eram tão facilmente encontrados em qualquer cidade, nem mantidos pelas clínicas, seja pelo custo ou baixa demanda – que ainda assim é existente.

Dessa forma, o laudo à distância possibilita que tanto as clínicas, quanto os pacientes tenham acesso a um número maior de médicos especializados, que podem contar com multiprofissionais para elaborar diagnósticos mais qualificados.

Agilidade e qualificação do atendimento

Mais agilidade e qualidade com laudos à distância na radiologia

Por fim, sabemos como a agilidade é importante quando pacientes esperam pelo diagnóstico de doenças agressivas como câncer. Da mesma forma, a agilidade para iniciar o tratamento também é determinante em muitas dessas situações.

A emissão de laudo à distância possibilita que os centros especializados contem com profissionais para complementar ou fazer parte da análise e interpretação de maneira mais ágil, a fim de oferecer diagnósticos com a urgência que o paciente necessita.


Fica evidente como o laudo a distância tem possibilitado que pacientes e centros especializados possam contar com médicos altamente especializados, independente da sua localização física.

Ao mesmo tempo, sem a obrigação de imprimir e armazenar exames em filme, a rotina dos centros de diagnóstico também experimenta a melhora na produtividade graças a essa agilidade provocada pelo digital.

Por fim, quem ganha são todos os agentes envolvidos na realização dos procedimentos, diante do fato que os médicos especialistas garantem agilidade, as equipes alocadas experimentam melhora na produtividade e os pacientes têm seu atendimento qualificado.

Inovação
O que está por vir: tudo que você deve saber sobre inteligência artificial na saúde