Radiologia

Entenda o que é, quais são as áreas da radiologia médica e os principais avanços


Quando você pensa em celular, certamente não é aquele modelo dos anos 2000 que vem a sua mente, mas sim, um smartphone de última geração, com tecnologia, design e ferramentas avançadas, não é?

É dessa mesma maneira que você deve pensar a radiologia: com diversos avanços que ocorreram graças às tecnologias de ponta que tem permeado essa área da medicina.

A radiologia está muito além de exames de raio-x.

Sua função tem sido determinante para obter mais agilidade no diagnóstico médico e para atender pacientes com a qualidade e agilidade que eles necessitam.

Com suas diversas áreas de atuação, a radiologia oferece um campo de especialidades a serem exploradas, aprofundadas e estudadas. 

É sobre essas diversas áreas da radiologia que nós vamos falar hoje.

O que é radiologia médica?

Radiologia médica é a especialidade que utiliza diferentes tipos de radiação para realizar exames de imagem e obter resultados com maior qualidade, precisão e proporcionar agilidade na emissão de laudos.

A radiologia pode ser utilizada com fins diagnósticos ou terapêuticos. Sendo que sua evolução atualmente já proporciona imagens com melhor resolução e mais nitidez. Nesse sentido, a telerradiologia representa um grande avanço na emissão de laudos à distância.

Ao mesmo tempo, exige que os profissionais tenham competências igualmente avançadas para interpretar as imagens e explorar todas as funcionalidades proporcionados pela tecnologia.

Por fim, a telerradiologia representa avanço para os centros especializados, para os médicos e para os pacientes, pois possibilita que os resultados sejam obtidos em tempo recorde.

No entanto, a tecnologia não é a única aliada que torna tudo mais ágil.

Os profissionais têm igual importância, ou até mesmo superior. Pois o grau de especialização vai interferir na capacidade de resposta e na qualificação para interpretar imagens e alterações que passariam despercebidos por profissionais menos capacitados.

Radiologia intervencionista e diagnóstico por imagem

A partir das informações acima, pode-se entender que a expansão da telerradiologia exige que os profissionais tenham alto nível de especialização – dessa forma, tendo a possibilidade de encontrar muitas oportunidades nessa área que está em pleno crescimento.

Mas, antes de avançarmos para as especializações e subespecializações, vamos entender quais áreas o médico radiologista pode atuar.

Radiologia intervencionista

O médico que atua na radiologia intervencionista é capacitado para realizar procedimentos invasivos como biópsia, onde é realizado a coleta de um tecido para investigação de doenças como câncer.

Nessa especialidade, ele também pode realizar angiografias, que configura a incisão de um cateter para injetar contraste na parte do corpo a ser observada, a fim de realçar tumores ou avaliar vasos sanguíneos.

Diagnóstico por imagem

Essa é a área de atuação mais popular para o médico radiologista.

Sendo que nessa área, cabe ao médico realizar a análise e interpretação de exames radiológicos e de imagem, considerando as suspeitas do médico solicitante, bem como o histórico do paciente e os dados clínicos.

Nesse contexto, o diagnóstico por imagem ainda depende da subárea de atuação do especialista, que pode ser radiologista mamário, torácico, músculos-esqueléticos, entre outros.

No âmbito do diagnóstico por imagem, a agilidade exigida pelas empresas de telerradiologia gerou uma demanda de subespecializações por áreas do corpo, visto que um profissional especializado na coluna e tórax terá mais facilidade e precisão para analisar essas áreas do que para interpretar exames de mamografia, por exemplo.

Dessa forma, os profissionais subespecializados tem a capacidade necessária para oferecer diagnósticos ágeis sem perder qualidade e precisão na análise e emissão de laudos.

Quais são as áreas da radiologia?

As diferentes áreas da radiologia envolvem o trabalho do médico radiologista e também do técnico em radiologia.

Para o médico radiologista, a formação corresponde ao período mínimo de conclusão do curso de medicina, que é de seis anos, mais o período de três anos de especialização para se tornarem médicos radiologistas.

Ao fim da especialização, o médico deve realizar as provas teóricas e práticas do exame de suficiência do Colégio Brasileiro de Radiologia e Diagnóstico por Imagem (CBR).

Já para o técnico em radiologia, o curso técnico tem duração de cerca de dois anos e meio. Após a finalização, o profissional obtém autorização para atuar em clínicas especializadas, hospitais e em processos administrativos da área.

Cabe ao técnico em radiologia acompanhar os procedimentos, que podem ou não contar com a presença do médico, dependendo a complexidade. 

Sendo de responsabilidade do técnico a preparação do paciente e do ambiente, o posicionamento do paciente, a aplicação de medidas específicas de proteção radiológica, entre outros.

Abaixo, listamos as principais áreas da radiologia médica:

Mamografia

A mamografia é o principal exame no Brasil para rastreamento do câncer de mama precoce. Este exame pode ser acompanhado pelo técnico, ao passo que somente o médico especializado é o responsável pela análise e interpretação das pequenas alterações no tecido mamário, como microcalcificações, que podem evoluir para doenças graves.

Raio-x

Analisando imagem de raio-x

O mais popular entre os exames radiológicos, sendo amplamente utilizados tanto por áreas como ortopedia, mas também para realização de avaliação pulmonar, traumatologia, etc.

Essa é considerada a principal área de atuação do técnico em radiologia, que tem nas clínicas e hospitais seu principal campo de atuação profissional.

Medicina nuclear

Essa especialidade da radiologia utilizada materiais radioativos com fins diagnósticos e terapêuticos, sendo que os principais exames são a tomografia por emissão de pósitrons e a cintilografia.

Ressonância magnética

Equipamento de ressonância magnética

A ressonância magnética é uma especialidade que fornece diagnóstico de alta precisão, pois os equipamentos utilizados fornecem imagens de alta definição dos órgãos e outras estruturas do corpo.

Devido a sua precisão, a ressonância magnética é especialmente utilizada na neurorradiologia para reconhecimento e interpretação de doenças ligadas ao cérebro.

Densitometria óssea

O médico dessa especialidade é responsável por interpretar exames que avaliam a massa óssea e a deterioração esquelética, fundamental para o diagnóstico da osteoporose.

A técnica utilizada na realização dos exames de densitometria óssea exige dos médicos especializados bastante precisão, tornando a especialização nessa área um verdadeiro diferencial.

Tomografia computadorizada

O tomografia computadorizada é a área que permite realizar uma análise detalhada em tecidos moles, como o cérebro, que não podem ser visualizados adequadamente na radiologia tradicional.

Além de ser uma técnica não invasiva, é também um exame rápido, que pode ser realizado em poucos minutinhos.


A radiologia médica passou por diversas evoluções e, atualmente, com a telerradiologia, está em pleno processo de expansão.

As novas tecnologias ao mesmo tempo que exigem alto nível de competência dos profissionais, que devem ser aptos a manusear a interagir com novos aparelhos, também possibilita que eles realizem o trabalho com muito mais agilidade e precisão.