Tecnologia

Telemedicina radiológica: entenda a importância para os pacientes e profissionais


Quando o transporte aéreo surgiu, o tempo necessário para percorrer milhas e chegar a novas fronteiras foi reduzido drasticamente, trazendo avanços em vários setores: no turismo, no transporte de alimentos e medicamentos, no comércio internacional, etc. 

Teve impacto até mesmo na medicina, com o transporte ágil de órgãos e também de pacientes, auxiliando a salvar dezenas de vidas.

Mas dentre as mudanças que têm causado transformações na medicina, a tecnologia por trás da telemedicina é a maior de todas elas. 

A telemedicina tem sido responsável por promover avanços que qualificam o diagnóstico, agilizam e emissão de laudos e melhoram o atendimento médico dos hospitais, clínicas e instituições médicas.

Mas você sabe de que maneira a telemedicina está provocando mudanças na radiologia?

Segundo uma pesquisa de 2018, realizada pela AMA (American Medical Association), a radiologia é a especialidade médica que mais utiliza as ferramentas de telemedicina.

Com esta informação é possível entender o quanto a telemedicina tem sido decisiva para a radiologia médica.

Por todos os avanços e benefícios proporcionados pela telemedicina radiológica, a telerradiologia deve crescer bastante nos próximos anos e nós te explicamos o por quê:

Entenda o que é telemedicina radiológica e suas funcionalidades

A telemedicina radiológica é a prática da telemedicina que permite que médicos e radiologistas emitam laudos e interpretem imagens de diagnóstico à distância.

Qualquer exame que não necessita de acompanhamento de um médico e que pode ser conduzido por um técnico em radiologia pode ser realizado na telemedicina radiológica.

Para as instituições, a telemedicina radiológica representa a possibilidade de ampliar a capacidade de atendimento, de ter médicos sempre à disposição e de economizar.

E apesar de parecer nova, a telemedicina radiológica data de 1980, quando foram registradas as primeiras práticas feitas de forma bem diferente do que é realizado hoje.

Curiosidade
Nessa época, a telemedicina radiológica funcionava de forma bem mais analógica do que eletrônica: as cópias físicas dos filmes radiológicos eram enviadas por correio ao radiologista. A partir do recebimento, o médico especialista gravava um relatório em fita cassete, que era enviado de volta ao local de origem do exame.

No Brasil, a telemedicina radiológica começou a ser utilizada nos anos 1990.

Como funciona a telemedicina radiológica no dia a dia dos profissionais e pacientes

Para você entender com propriedade o funcionamento da telemedicina radiológica, nós elaboramos a explicação mais completa e objetiva sobre o termo. Primeiro, você precisa entender o funcionamento do exame de raio-x:

Durante a realização do exame de raio-x, um feixe de radiação sai do aparelho e atravessa o corpo do paciente. 

O que não é absorvido pelas partes anatômicas atravessa a chapa sensível que está do outro lado, fazendo a imagem ser registrada e gravada no filme.

No caso da radiologia digital, em vez de gravar no filme, o computador utilizado possui um software específico que transforma as informações em imagens digitais.

No dia a dia, a telemedicina radiológica funciona dessa maneira:

  • O técnico em radiologia, que deve estar logado no sistema de telemedicina, realiza o exame de diagnóstico por imagem e o software transforma as informações do aparelho de raio-x em pixels.
  • As imagens digitais são compartilhadas na plataforma de telemedicina para que os médicos especialistas que estão logados no sistema possam fazer a análise e interpretação no laudo médico.
  • Em seguida, o laudo remoto é assinado digitalmente e liberado na plataforma para o médico que fez a solicitação. O laudo ainda pode ser salvo ou impresso, de acordo com a preferência dos profissionais e do paciente.

Todo este processo funciona de forma ágil, segura e eficiente graças às plataformas como o DICOM e o sistema PACS.

O primeiro garante que as imagens geradas nos aparelhos sejam salvas, por meio do software, em formatos padrões estabelecidos no protocolo DICOM.

Enquanto isso, o sistema PACS permite que as imagens sejam transmitidas com alta qualidade e segurança.

Quais exames podem ser realizados na telemedicina radiológica?

De forma geral, os exames que podem ser realizados com acompanhamento de um técnico em radiologia e sem a presença de um médico podem ser laudados à distância.

São eles: radiologia no âmbito geral e específico, como exame raio-x do tórax, do esqueleto, do abdômen, do crânio e das articulações; tomografia geral e especializada; mamografia; densitometria óssea, ressonância magnética e medicina nuclear.

Dessa forma, os exames realizados na telerradiologia podem ser interpretados por profissionais que estão em outras cidades e até mesmo em outros estados.

Conforme a resolução do CFM Nº 2.107/14, é necessário que o médico tenha registro no CRM (Conselho Regional de Medicina) em seu estado de atuação, o que torna possível que ele emita laudos para qualquer local do Brasil.

Uma pesquisa realizada em 2018 com os profissionais brasileiros apontou que apenas 17% dos médicos e 26% dos enfermeiros participaram de cursos, treinamentos ou capacitação na área de tecnologia em saúde nos últimos 12 meses daquele ano.

O que demonstra uma oportunidade e a necessidade das instituições investirem em tecnologia, mas também na capacitação dos profissionais.

Ao mesmo tempo, 93% dos médicos e 91% dos enfermeiros consideram que houve melhora na eficiência dos processos de trabalho com o uso da tecnologia; enquanto isso, 85% dos médicos e 88% dos enfermeiros acreditam que houve melhora no tratamento como um todo.

Os benefícios da telemedicina radiológica para as instituições

1) Especialistas 24h por dia

A telemedicina radiológica funciona através de sistemas de telemedicina autenticados pelas autoridades de saúde. Sendo que as principais plataformas contam com profissionais disponíveis 24 horas, durante os 7 dias da semana.

Isso só é possível porque a plataforma de telemedicina conta com profissionais de todo o país, que podem atender às solicitações de qualquer lugar.

Dessa forma, sempre haverá um ou mais médicos à disposição.

2) Redução de custos

Um dos principais benefícios da telemedicina radiológica é que as instituições, clínicas e hospitais só pagam quando um laudo é emitido, ao contrário do formato tradicional onde os especialistas são remunerados por hora (independente de quantas emissões de laudo ocorreram no período).

Essa mudança representa economia para as instituições ao mesmo tempo que amplia a capacidade de atendimento. Dessa forma, o investimento tem um grande custo benefício!

3) Diagnósticos mais assertivos

Com profissionais de todo o país, a plataforma de telerradiologia permite que os especialistas em radiologia possam contar com médicos sub especializados, ou seja, que estudaram a fundo determinada área da radiologia.

Isso permite qualificar ainda mais o diagnóstico e também o tratamento, melhorando ainda mais o atendimento ao paciente.


A telemedicina radiológica é uma prática necessária e altamente eficiente, pois conecta a demanda das instituições aos médicos especialistas e sub especializados.

Os pacientes, por sua vez, podem contar com diagnósticos ainda mais especializados, que melhoram o desempenho do tratamento e da cura.

Graças ao avanço da tecnologia, a telemedicina radiológica traz mais qualidade no atendimento dos pacientes e mais autonomia para os médicos, que podem emitir laudos a partir de qualquer lugar quando conectados à plataforma de telemedicina.

Todos esses fatores colaboram para o avanço da medicina em geral e colaboram também para a reputação das instituições que utilizam este modelo.

Tecnologia
Entenda o que é DICOM, suas funcionalidades e benefícios para a telemedicina
Tecnologia
Entenda o que é sistema RIS e como ele pode melhorar o atendimento
Tecnologia
O que é sistema PACS e como essa tecnologia pode ajudar a sua clínica