Tecnologia

Entendas as principais diferenças do armazenamento local e armazenamento em nuvem


O desafio de armazenar laudos, prontuários e informações de pacientes acompanha as instituições médicas há décadas.

Por muito tempo, salas dedicadas ao armazenamento de pastas com prontuários e fichas ocupavam espaços consideráveis dentro de clínicas, centros de imagens e hospitais. 

Um problema que deixou de existir com o surgimento dos prontuários eletrônicos e o uso de sistemas que funcionavam em computadores com alta capacidade de armazenamento.

Atualmente, o armazenamento local – como é chamado a forma de armazenar em servidores próprios – dentro das instituições é o mais popular e praticado. 

No entanto, não é a alternativa mais eficaz e barata para os administradores.

Por esse e outros motivos que o armazenamento em nuvem tem ganhado cada vez mais adeptos no setor de saúde.

Se você está buscando entender de vez as diferenças entre armazenamento local e armazenamento em nuvem, comparar benefícios e fazer boas escolhas para o futuro da sua instituição, acompanhe o texto.

Principais diferenças do armazenamento local e armazenamento em nuvem para instituições de saúde

Instituições no geral, sejam elas de saúde ou não, tem à disposição duas formas de armazenar arquivos e grandes quantidades de dados:

  • A primeira é o armazenamento tradicional, feito em servidores próprios, em hardwares com alta capacidade.
  • A segunda e mais recente opção é a de armazenar em nuvem, em servidores online, de forma totalmente digital.

Mas qual é a melhor entre as duas opções?

O setor de saúde tem a necessidade iminente de armazenar e administrar uma grande quantidade de dados diariamente, sendo que este desafio tem influência direta no atendimento aos pacientes e na capacidade de fornecer dados que qualificam o diagnóstico médico.

Segundo dados de uma pesquisa realizada pelo MarketsandMarkets, o mercado global de computação em nuvem para assistência médica deve movimentar US$ 51,9 bilhões até 2024.

Ao permitir que os serviços de saúde aproveitem os benefícios de servidores remotos e acessíveis, nos quais é possível armazenar um grande volume de dados, o armazenamento em nuvem se mostra como uma solução flexível que entrega a eficiência que o setor de saúde necessita.

Armazenamento local

O armazenamento local é feito em computadores destinados especificamente para guardar arquivos.

Por este motivo, obrigatoriamente, eles têm alta capacidade de processamento e, diferente de outros computadores que podem existir no local, não são utilizados para outra função que não seja armazenar.

No caso de empresas menores, com pouco tempo de mercado ou que não precisam armazenar grandes volumes de dados, muitas vezes o armazenamento local é feito nos computadores de uso diário – o que pode representar a inexperiência de instituições que não compreendem a importância de armazenar os dados adequadamente.

Na prática, um dos principais problemas relacionados ao armazenamento local está  na obrigação de aumentar a capacidade dos servidores conforme a entrada de novos arquivos.

O preço dos hardwares e a necessidade de manter uma equipe de TI para realizar manutenções no local costumam encarecer os custos financeiros – um fator de grande influência para instituições que migram do armazenamento local para o armazenamento em nuvem.

Armazenamento em nuvem

O armazenamento em nuvem permite que as instituições façam o armazenamento de arquivos sem a necessidade de possuir estruturas próprias para armazenar essas informações.

Além disso, o grande benefício está na mobilidade, pois permite que os arquivos sejam acessados a partir de qualquer dispositivo que esteja conectado à internet  – o que não ocorre com o armazenamento local. 

Com acesso à internet e login em mãos, profissionais podem acessar os arquivos armazenados em nuvem a partir de computadores, notebook, tablets e até mesmo smartphones.

Outro grande benefício do armazenamento em nuvem é a segurança.

Os servidores possuem alto nível de segurança contra invasões ou acesso de terceiros, além de garantir que os arquivos armazenados não sejam perdidos ou corrompidos devido a problemas no HD, computador, no servidor ou devido a formatações.

Benefícios do armazenamento em nuvem

Redução de custos

O primeiro benefício do armazenamento em nuvem tem influência direta na administração das instituições.

Isso porque, para migrar para o armazenamento em nuvem, as instituições não precisam fazer investimentos em hardwares de última geração: é possível utilizar os computadores disponíveis no local.

Além disso, os fornecedores permitem que as instituições paguem somente pela capacidade de armazenamento e recursos que eles realmente usam, o que torna o armazenamento em nuvem bastante funcional para controlar os custos operacionais por meio de um plano sob medida.

Outro grande desafio superado com o armazenamento em nuvem é contar com a segurança do backup em tempo real. O backup funciona como uma segunda memória, que mantém os arquivos e dados em segurança caso o computador tenha falhas, sofra perda de energia ou violação de dados.

O futuro do armazenamento de arquivos na saúde

A combinação da capacidade de armazenamento, segurança e eficiência para acessar arquivos torna o armazenamento em nuvem a melhor escolha para as instituições de saúde.

Além de influenciar e melhorar a produtividade, tornando o dia a dia mais eficiente, o armazenamento em nuvem assegura que os dados de pacientes estarão disponíveis quando necessário e armazenados em local seguro.

Tecnologia
Entenda o que é DICOM, suas funcionalidades e benefícios para a telemedicina
Inovação
Radiologia na nuvem: o que é, como funciona e principais benefícios
Tecnologia
Laudos médicos à distância: a solução para desafios institucionais e humanos