Tecnologia

Entenda o papel e os benefícios do visualizador DICOM dentro das instituições


A radiologia é a especialidade médica que mais tem se beneficiado dos principais avanços da tecnologia na saúde. 

A possibilidade de interpretar e laudar exames de imagem à distância tem auxiliado médicos, centros de imagem, hospitais e clínicas a aprimorar cada vez mais o diagnóstico graças a duas mudanças principais:

  • As imagens digitais possuem alto nível de nitidez, permitindo que médicos deem zoom, realizem comparações e façam interpretações e estudos ainda mais precisos.
  • Com a possibilidade de compartilhar as imagens digitalmente, médicos podem contar com uma segunda opinião e com a experiência de um corpo clínico ainda mais especializado auxiliando no diagnóstico.

Mas para que seja possível tirar o máximo proveito dos avanços, facilidades e da eficiência proporcionada pela tecnologia, é necessário dar um passo atrás e entender como funcionam as plataformas que trazem mais qualidade para a rotina de médicos e instituições.

É o caso do visualizador DICOM: o software é indispensável para os profissionais e estabelecimentos que desejam visualizar exames de imagem de maneira digital.

Abaixo, nós explicamos como funciona esse sistema, as normas definidas por ele e como ele influencia na rotina de profissionais, instituições médicas e pacientes..

Mas primeiro, para entender o que é visualizador DICOM, entenda o que é DICOM:

O que é DICOM?

DICOM é a sigla para Digital Imaging and Communications in Medicine. Em português, significa Comunicação de Imagens Digitais na Medicina. 

Trata-se de um conjunto de normas criadas para garantir que as imagens de diagnóstico possam ser lidas por qualquer aparelho no formato digital.

O conjunto de normas DICOM tem como principal objetivo facilitar a comunicação e o armazenamento de imagens de diagnóstico, garantindo que o registro, o compartilhamento e o acesso aos exames seja seguro para os profissionais, instituições e o paciente.

O que é o visualizador DICOM?

O visualizador DICOM é uma plataforma que, idealmente, deve possibilitar o acesso, a visualização e a manipulação de qualquer imagem DICOM.

Suas formas de uso são variadas, pois o visualizador pode servir para:

  • Interpretação e diagnóstico dos médicos especialistas
  • Para estudos de caso com o corpo clínico
  • Para elaborar planos cirúrgicos
  • Em sala de aula ou por alunos durante os estudos

De forma geral, o visualizador DICOM otimiza e facilita o trabalho dos profissionais de saúde em vários níveis, possibilitando que os mesmos tenham acesso a imagens em diferentes sistemas.

É importante saber que as diretrizes que norteiam o processo de obtenção de imagens DICOM são definidas pela NEMA (National Electrical Manufacturers Association).

A instituição é responsável por definir as regras que servem para padronizar a qualidade das imagens e garantir a procedência – o que oferece mais segurança na interpretação, no diagnóstico e no tratamento dos pacientes.

O sistema DICOM tem objetivo de armazenar as imagens e informações no PACS e o visualizador DICOM tem o objetivo de permitir a visualização e interpretação das imagens no PACS. Em alguns casos, o visualizador também permite fazer edições.

Como o visualizador DICOM funciona na prática?

Por muito tempo, hospitais, clínicas e centros de imagem enfrentaram desafios que impediam a realização de um atendimento eficiente, ou pior, que ameaçavam o bem-estar dos pacientes devido à dificuldade de visualizar exames em equipamentos que não eram compatíveis.

Para solucionar este problema, foi criado um conjunto de normas que padroniza o formato das imagens de diagnóstico e garante que elas possam ser lidas em qualquer aparelho digital, mesmo quando realizadas em equipamentos de diferentes fabricantes.

Na prática, significa que um exame de raio-x realizado em um pronto-socorro pode ser interpretado por um médico especialista em um hospital de referência, mesmo que estes estabelecimentos tenham aparelhos e sistemas de marcas diferentes.

Além das situações de emergência, o formato e o conjunto de normas DICOM elimina dores de cabeça ao paciente, evitando que o mesmo precise repetir o mesmo exame para levar a especialistas em unidades médicas diferentes.

Dessa forma, o protocolo estabelecido pelo padrão DICOM garante que imagens geradas por aparelhos de radiografia, tomografia e ressonância magnética possam ser compartilhados e visualizados em diferentes sistemas e por diferentes profissionais.

Vale a pena mencionar que o padrão DICOM foi criado em 1993 por um comitê formado por médicos e cientistas. Hoje o padrão está em sua terceira versão e é utilizado globalmente.

Atualmente, este comitê é composto por grandes fabricantes e instituições médicas e de pesquisa do mundo todo. Ao mesmo tempo que garante a compatibilidade dos novos formatos de imagem, as normas do DICOM também mantém a compatibilidade com os formatos mais antigos.

O DICOM representa um grande avanço para a radiologia. Desde a sua criação, profissionais, centros de imagem, clínicas e hospitais tem se beneficiado da possibilidade de acessar exames de imagem em diferentes sistemas.

Os principais beneficiados, no entanto, são os pacientes que passaram a ter atendimento eficiente, eliminando ruídos e possíveis obstáculos que atrasavam o tratamento – sobretudo em situações de emergência.

A Rdicom possui soluções na nuvem que já auxiliam centenas de instituições públicas e privadas a qualificar o atendimento, aprimorar o diagnóstico e que ainda garantem economia com a impressão de exames físicos.

Converse com um profissional e conheça as soluções disponíveis para a sua empresa.

Radiologia
O que você precisa saber sobre o que determina a legislação para radiologia, conforme a Anvisa
Radiologia
Entenda o que é, quais são as áreas da radiologia médica e os principais avanços
Radiologia
A importância do exame de densitometria óssea para a qualidade de vida de pacientes com mais de 60 anos